TRENZINHO DA CANTAREIRA

LANOS E SONHOS PARA O TRAMWAY DA CANTAREIRA

 

A reportagem é de 1933, mas a foto era de 1927. Interessante a precisão: “trinta e tantos quilômetros concluídos”… (Correio de São Paulo, 11/1/1933)
Janeiro de 1933. O Tramway da Cantareira era cada vez menos romantismo e cada vez mais um ralo de dinheiro. Ferrovia mal feita, pois foi construída nos anos 1890 não para atender passageiros, mas sim para levar material para a construção do reservatório da Cantareira num dos pontos mais altos do município de São Paulo, seria, como muitas outras, extinta e desmontada depois dos trabalhos concluídos.

 
Porém, alguém achou que o novo parque era um ligar muito bonito e ótimo para piqueniques sem precisar se aventurar muito para o interior. Se bem que, naquela época, o reservatório também ficava no interior… um interior próximo. Com um trem para levar as famílias interessadas, então, nem se fala. E tudo mudou.
 
A ferrovia ainda atendia algumas empresas no seu caminho, bem como pedreiras, e foi, em 1917, até feito o prolongamento até Guarulhos de um ramal que chegava ao Guapira, no Jaçanã, não tanto para passageiros, mas para passageiros especiais que se internariam no novo asilo construído por aquelas bandas em 1910.
 
Agora, a Cantareira passava a ser mais um trem de subúrbios na cidade. Um metrozinho a céu aberto… que chamassem como quisessem. Dava para passear no Horto Florestal, também. Construíram até um anel que levava o trem até ele e retornava quase no mesmo local, nas bandas do longínquo bairro do Tremembé, que depois, por um tempo, também foi Tremembeí.
 
O seu traçado, no entanto, não era dos melhores, especialmente porque passava pela região de Santana, onde a as rampas eram constantes e os trens rodavam vagarosamente, com curvas e mais curvas como, por exemplo, na atual avenida Luiz Dumont Villares.
 
Começaram então a brotar ideias: como fazer para o trem deixar de dar tanto prejuízo sem deixar, ao mesmo tempo, de atender as populações carentes de transporte nesses, na época, afastadíssimos bairros?
 
Pois é, em 1933 uma reportagem no jornal Correio de São Paulo falava que o Tramway deveria ser incorporado à Sorocabana (e de fato foi-o, mas quase dez anos depois). Depois, deveria ser prolongado até a cidade de Santa Isabel, a partir de Guarulhos (o máximo que se fez, em 1947, foi estender o ramal até a Base Aérea de Cumbica), dali, avançar para a divisa de Minas e se juntar a “alguma linha da Rede Sul-Mineira e ligar São Paulo a Belo Horizonte” (pela Cantareira? Já pensaram?)… ligar também com a E. F. Campos do Jordão…
 
Enfim, eram planos sérios? Conversas de engenheiros em bares captadas por repórteres que a tudso escutavam? Falava-se tudo isso aparentemente sem grandes estudos de rentabilidade, sem se citar retificações e melhoras de vias permanentes… pelo menos nas reportagens.
 
De qualquer forma, é interessante relembrar essas discussões, que, por mais amadoras (ou mesmo profissionais) que fossem, eram jogadas ao léu para os leitores que ficavam imaginando melhoras e pioras.
 
Finalmente, depois de mais centenas de reportagens nos trinta anos seguintes sobre “como salvar o Tramway da Cantareira”, a ferrovia fechou, largando seus passageiros ao léu mesmo, quando o acesso, em 1964 e 1965, ás mesmas regiões continuavam muito ruins. Eu conheci muitos desses acessos e me lembro. E a cidade perdeu um trem de subúrbio. Em alguns trechos o metrô o substituiu, mas em outros, como Guarulhos, nada aconteceu.
 
Matéria extraída do
 Mais uma vez  lembro da Estação Tamanduateí, ponto inicial do trenzinho
da Cantareira, ficava na esquina das ruas João Teodoro e da Cantareira.
No passado muitos pic-nics ou como eram descritos nos convites, conves –
cotes saíam dessa estação rumo ao Horto Florestal , onde havia uma matinê
dançante famosa, a do C. A. Silvicultura ou ainda em direção à Vila Galvão , onde passeavam num belo parque.
Vocês hão de estranhar quando falei de convites, sim eram vendidos convites
aos citados convescotes, animadíssimos. Vocês da média guarda, se lembrarão
daquela música “A volta do pic-nic” com Wanderley Cardoso.
hoje centenas de cérebros , procuram achar alternativas , para o caótico trânsito
de nossa cidade.
O Ralph fala no seu artigo ,do ramal que ia até a Base Aérea de …   Cumbica !
E hoje procuram planejar uma linha de trem que leve as pessoas  até… o Aeroporto de….Cumbica !
E assim sucedeu com vários ramais ferroviários extintos e que hoje , atualizados
poderiam atender a população, que vive em transportes superlotados e incrivel-mente desorganizados.
Lembro , até a minha adolescência de ouvir o apito da Maria Fumaça da Cantareira ou da “tranvai”, como diziam os antigos e que seu houvesse manutenção e investimentos adequados, poderia ser ainda hoje uma boa alternativa para os passageiros.
Jayme Antonio Ramos
historiasdopari.wordpress.com

FOTOS DO TIAGO MARTINS CORREA

pacaembu

No Pari , ou melhor no meu querido Pari, podem falar mal , podem dizer que não é mais aquele, mas é um pedaço da cidade que está eternamente dentro de nossos corações , tenho vários amigos , uns estão no bairro e outros na diáspora.  Um jovem amigo, lutador, que trabalha transportando o progresso do nosso Brasil  e ao mesmo tempo documenta com belas fotos o seu dia a dia ,  trabalhando com muito prazer e atento ao trânsito maluco de nossa querida terra da garoa , da chuva, do temporal , das enchentes.       Trata-se do jovem e bom amigo Tiago Martins Correa. Hoje mostramos um local de nossa cidade que foi palco de alegrias e tristezas de corinthianos , palmeirenses, sampaulinos , lusos e santistas ,o tradicional Estádio Municipal Dr. Paulo Machado de Carvalho, o querido Pacaembu. Bela foto de um belo lugar,ops já ia esquecendo a Praça Charles Miller é o nome desse belo logradouro e não por acaso é a homenagem ao pai do futebol no Brasil ,o filho de ingleses nascido no Brás , bairro satélite do Grande Pari. Que não fiquem bravos os brasenses porque embora eu tenha vivido no bairro doce de Sampa por muitos anos eu também nasci no Brás.  Saudações Parienses !!                          Jayme Antonio Ramos

REFLEXÕES DO CURSINI

Educação não tem prazo…

 
Sempre uma caixinha de surpresas

 

***A Educação não tem prazo e nem data para crescer – como tudo na vida muda, ela também sofre a sua transformação.
***Ela deve e tem obrigação de estar sempre em dia – como a globalização, ela precisa de atualizações diárias, pois se ficar um mês inerte, sofre um atraso de doze meses.
***O mundo converteu-se num centro de informações ininterrúpto.
***O governo precisa entender que, apesar de a Educação ser de sua responsabilidade, nada pode ser prometido. Tudo tem que ser realizado sem promessas, pois promessas, para todos e quaisquer governos, foram feita para não serem cumpridas.
***Então chega de promessas e vamos às realizações.
***Não é o Brasil o culpado de seu atraso educacional e sim, todos e quaisquer governos, sejam lá quais forem, pois há muito tempo ele não representa mais o Brasil e sim, a si próprio…
Reflexão do saudoso pariense Cláudio Cursini

QUEM MUITO FALA , POUCO PENSA !!

“Sempre vejo anunciados cursos de oratória. Nunca vi anunciado curso de escutatória. Todo mundo quer aprender a falar. Ninguém quer aprender a ouvir. Pensei em oferecer um curso de escutatória. Mas acho que ninguém vai se matricular. Escutar é complicado e sutil…
Parafraseio o Alberto Caeiro: “Não é bastante ter ouvidos para ouvir o que é dito; é preciso também que haja silêncio dentro da alma”. Daí a dificuldade: a gente não aguenta ouvir o que o outro diz sem logo dar um palpite melhor, sem misturar o que ele diz com aquilo que a gente tem a dizer…
Nossa incapacidade de ouvir é a manifestação mais constante e sutil de nossa arrogância e vaidade: no fundo, somos os mais bonitos…

Mateus no Capítulo 11 versículo 15 escreveu o que Jesus Cristo falou : 

QUEM TEM OUVIDOS PARA OUVIR, QUE OUÇA.

e nós do blog , da página do Facebook e do grupo historiasdopari  humildemente escrevemos, quem puder ler que leia . Enfim meus amigos, o nosso blog ou o grupo é aberto para todos, embora às vezes muitos me perguntam se podem tecer comentários e mandar textos e ou fotos ou só é para alguns esse privilégio.  Todos podem postar pois , não é privilégio de ninguém .

LUSA

 

O GRANDE PROBLEMA DE UM TIME DE COLONIA COMO A NOSSA LUSA É A FAMOSA VAIDADE DOS HOMENS QUE ESTÃO EM SUA DIREÇÃO E QUE SE SOMANDO COM OS QUE ESTÃO NO CHAMADO OUTRO LADO, OU SEJA A OPOSIÇÃO NÃO SE FICA MUITO ATRÁS , VEJA BEM QUERO QUE VOCÊS ENTENDAM NÃO SOU A FAVOR DE A OU B , SOU SIM A FAVOR DO BEM DA PORTUGUESA , POIS PENSO QUE QUANDO HOUVER UMA UNIÃO DE TODA A COMUNIDADE LUSA, A NOSSA ASSOCIAÇÃO TERÁ TUDO PARA SER UMA DAS MAIS PODEROSAS EM TERMOS NACIONAIS , MAS PARA ISSO TERIA QUE SE ESQUECER QUEM É O PAI DA CRIANÇA OU SEJA NÃO É QUEM MAS SIM TODOS SEM DISTINÇÃO DE EGOS OU NOMES !!
SERÁ QUE ISSO ALGUM DIA PODERIA ACONTECER OU SERÁ MAIS FÁCIL ACHAR A ARCA DE NOÉ !!! ENQUANTO ISSO FICAMOS A DISPOSIÇÃO DOS VENTOS UIVANTES QUE ASSOMBRAM NOSSAS ALAMEDAS E NOSSOS SALÕES DA CIDADE CANINDÉ , ATÉ QUANDO , COM A PALAVRA A COMUNIDADE LUSO-BRASILEIRA DE SÃO PAULO ……… — COM HORÁCIO FERNANDO REZENDE PEREIRA.

Comentário transcrito por Everton Calício

REFLEXÕES DO CURSINI

 

 

MUITAS VEZES NOS PERDEMOS COM NOSSOS SONHOS E REALIDADES. ELES FICAM REVIRADOS E RETORCIDOS EM NOSSA MENTE… FICAMOS PASMOS… NESSES MOMENTOS PENSE EM COISAS DIFÍCEIS, QUASE IMPOSSÍVEIS – DIGAMOS, COMO ACHAR UMA AGULHA NUM PALHEIRO. PODE SER DIFÍCIL DE ACHAR DEPENDENDO DA MANEIRA DE PROCURAR. SE PEGARMOS MONTES DE PALHAS E APERTAMOS EM NOSSAS MÃOS, LOGO ESTAREMOS ESPETANDO-AS. PRONTO, ENCONTRAMOS. PORÉM O MAIS DIFÍCIL É ACHAR “AQUELA AGULHA” NO MEIO DE MILHARES DE AGULHAS. PODERIA DIZER QUE EXISTEM COISAS DIFÍCEIS, CLARO QUE SIM, MAS MUITAS DELAS PODEMOS FACILITAR, NÉ? – CLAUDIO CURSINI 

THAIS RONDON

 

” Lutar é a palavra vibrante que levanta os fracos e determina os fortes!”

   Thais Rondon

 

 
 
 

 

 Nesta época, gosto de tratar da vida.
Dou a roupa que não uso mais.
Livros que não pretendo reler. Envio caixas para bibliotecas.
Ou abandono um volume em um shopping ou café, com uma mensagem:
“Leia e passe para frente!”.

Tento avaliar meus atos através de uma perspectiva maior.
Penso na história dos Três Porquinhos.
Cada um construiu sua casa. Duas, o Lobo derrubou facilmente.
Mas a terceira resistiu porque era sólida.
Em minha opinião, contos infantis possuem grande sabedoria, além da história propriamente dita…
Gosto desse especialmente.
Imagino que a vida de cada um seja semelhante a uma casa.
Frágil ou sólida, depende de como é construída.
Muita gente se aproxima de mim e diz:Eu tenho um sonho, quero torná-lo realidade!Estremeço.
Frequentemente, o sonho é bonito, tanto como uma casa bem pintada. Mas sem alicerces.
As paredes racham, a casa cai repentinamente, e a pessoa fica só com entulho. Lamenta-se.
Na minha área profissional, isso é muito comum.

Diariamente sou procurado por alguém que sonha em ser ator ou atriz sem nunca ter estudado ou feito teatro.
Como é possível jogar todas as fichas em uma profissão que nem se conhece?

Há quem largue tudo por uma paixão. Um amigo abandonou mulher e filho recém-nascido.
A nova paixão durou até a noite na qual, no apartamento do 10º andar, a moça afirmou que podia voar.
Deixa de brincadeira , ele respondeu.
Eu sei voar, sim! rebateu ela.
Abriu os braços, pronta para saltar da janela. Ele a segurou. Gritou por socorro. Quase despencaram.
Foi viver sozinho com um gato, lembrando-se dos bons tempos da vida doméstica, do filho, da harmonia perdida!

Algumas pessoas se preocupam só com os alicerces. Dedicam-se à vida material.
Quando venta, não têm paredes para se proteger.
Outras não colocam portas. Qualquer um entra na vida delas.
Tenho um amigo que não sabe dizer não (a palavra não é tão mágica quanto uma porta blindada).
Empresta seu dinheiro e nunca recebe. Namora mulheres problemáticas.
Vive cercado de pessoas que sugam suas energias como autênticos vampiros emocionais.
Outro dia lhe perguntei:Por que deixa tanta gente ruim se aproximar de você?
Garante que no próximo ano será diferente….
Nada mudará enquanto não consertar a casa de sua vida.

São comuns as pessoas que não pensam no telhado.
Vivem como se os dias de tempestade jamais chegassem.
Quando chove, a casa delas se alaga.
Ao contrário das que só cuidam dos alicerces, não se preocupam com o dia de amanhã.

Certa vez uma amiga conseguiu vender um terreno valioso recebido em herança.
Comentei:
Agora você pode comprar um apartamento para morar.
Preferiu alugar uma mansão. Mobiliou. Durante meses morou como uma rainha.
Quase um ano depois, já não tinha dinheiro para botar um bife na mesa!

Aproveito as festas de fim de ano para examinar a casa que construí.
Alguma parede rachou porque tomei uma atitude contra meus princípios?
Deixei alguma telha quebrada?
Há um assunto pendente me incomodando como uma goteira?
Minha porta tem uma chave para ser bem fechada quando preciso, mas também para ser aberta quando vierem as pessoas que amo?

É um bom momento para decidir o que consertar.
Para mudar alguma coisa e tornar a casa mais agradável.
Sou envolvido por um sentimento muito especial.
Ao longo dos anos, cada pessoa constrói sua casa.
O bom é que sempre se pode reformar, arrumar, decorar!
Conclui que :
É na eterna oportunidade de recomeçar que reside a grande beleza de ser

 

o arquiteto da própria vida.

 

 

 

Uma ótima semana pra Ti.

 

E lembre-se sempre…” Tu és o arquiteto da própria Vida.”

 

M@nithu

 

“Um dia você aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida.”

 

 

 

“Sempre há um Amigo”

LARGUINHO 1926

construção das torres

Em 1914 foi criada a Paróquia Santo Antonio do Pari, desmembrada da Bom Jesus do Brás. Em 1924 foi inaugurada sem as torres a Igreja Matriz do nosso bairro. Na foto vemos em andamento as obras de construção da nossa igreja. Em 1974 foi lançado um Almanaque em comemoração do Jubileu de Ouro do templo e a pariense Maria Aparecida Ferroni Rocho, cujos avós participaram como voluntários nessa magnífica empreitada nos mandou esse belo documento.

CARREATA NO PARI

CARREATA

Agora há pouco houve uma carreata no Alto do Pari em honra da Senhora Aparecida . Claro todos os cuidados foram tomados pelos participantes e não houve Procissão , nem Quermesse , mas com visitas à Capela do Alto do Pari.  A Santa Missa Solene será realizada na Igreja Matriz de Santo Antonio do Pari , pois sendo maior que a Capelinha não haverá aglomeração .

REFLEXÕES DO CURSINI

Mais uma reflexão do saudoso amigo Cláudio Cursini que ele colocou o título de A interessante jabuticaba

O interior antigo era uma delícia – quiseram copiar sampa e ficou tudo feio…

 

***Eu digo sempre que quanto mais lemos, mais aprendemos – isso me prova que tenho razão mesmo.
***Nunca poderia supor que uma frutinha tão simples, a jabuticaba tivesse tantas proteínas assim e fosse tão saudável. Isso é verdade mesmo – a gente começa a chupar e não pára mais. Mas vou experimentar fazer com abacaxi e depois com limão.
***Chupa-se a frutinha e depois lavamos (novamente) a casca e batemos no liquidificador. Se vai ficar boa não sei, mas que vou beber, isso eu sei…
***Quando eu era moleque, uma vez numa cidade do interior – eu garoto ainda – logo que chegamos à casa, eu coloquei meu calção (naquela época era assim que falava) e corri pra jabuticabeira. Aquela ânsia de garoto, pois em São Paulo não tinha tantas assim – então subi, comecei a fazer graça e escorreguei, mas ainda bem que a árvore tem seus galhos juntos demais e meu pé enganchou num.
***Aquele gritaria, eu de cabeça pra baixo e tiveram que me ajudar a sair de lá. Isso logo no primeiro dia, primeiro instante. Alguns rindo e outros me dando bronca.
***Vergonha? Só um pouquinho – logo estava fazendo todas as criancices a que tinha direito novamente.
– CC&E – c.cursini@terra.com.br – Leia, Aprenda, Pratique e Futurize-se! –