LUSA VENCE E ESTÁ NAS QUARTAS

gol da lusa contra nacional

LUSA CLASSIFICA-SE PARA AS QUARTAS DE FINAL
Com um gol de Adilson Bahia a Lusa venceu o jogo de volta contra o Nacional no Canindé por 1 a 0. Como já havia vencido o alvi-celeste na Rua Comendador Souza no jogo de ida, a Portuguesa classificou-se para as Quartas de Final da Copa Paulista.

AMANHÃ TEM LUSA NO CANINDÉ

Estádio do Canindé recebe na próxima quarta-feira (2) o confronto entre Portuguesa e Nacional. A partida é válida pela volta das oitavas de final da Copa Paulista 2020. Assim, o duelo está marcado para ter início às 15h (horário de Brasília). No jogo de ida, a Lusa venceu o Naça por 1 x 0. Sendo assim, a equipe detém a vantagem do empate para se classificar.( eXTR. fUTEBOL NA VEIA )

PASSEIO A PÉ NO PARI

jornada do patrimonio

O roteiro a pé irá buscar colocar os participantes diante dos principais locais que compõem a história deste bairro paulistano, destacando a sua intensa participação na industrialização da cidade, principalmente pela presença na região de fábricas de gêneros alimentícios como Tostines, Balas Kid´s e Bela Vista, a religiosidade da comunidade local com a presença dos frades menores franciscanos e a Igreja de Santo Antônio e também relembrando a sua vocação como local de lazer e recreação, devido à proximidade com o Tietê e a instalação de clubes de várzea, e a diversidade étnica e cultural do bairro.INSCRIÇÕES:
Limitadas até 10 pessoas, por favor envie um e-mail para calicio@gmail.com para solicitar sua participaçãoORGANIZADOR:
jornalista e memorialista, Everton Calício atuou entre 2011 a 2016 como Conselheiro da Fundação Pró-Memória de S. Caetano do Sul e por mais de vinte anos integrou a equipe do Museu Histórico da Associação Portuguesa de Desportos. Foi colunista entre 2010 a 2017 no jornal Metrô News onde escrevia sobre a história e a memória da cidade. Mantém a página no Facebook Memórias da Terra da Garoa e também a página IRFM Memória e Preservação.O EVENTO:A Jornada do Patrimônio, criada pela Secretaria Municipal de Cultura, por meio do Departamento do Patrimônio Histórico e da Coordenadoria de Programação Cultural, chega à sua sexta edição com o tema “Nossa cidade, nossas memórias”.
Inspirada nas Journées Européennes du Patrimoine, finais de semana dedicados a democratizar o acesso ao patrimônio cultural com a abertura de imóveis históricos tombados à visitação pública, a programação deste ano se reinventa também em ambiente virtual, com encontros e diversas ativações entre intervenções artísticas, instalações, exposições e passeios.
Segue com o objetivo de convidar a população a explorar a cidade por meio de roteiros de memória temáticos e estimular mestres, pesquisadores, educadores, artistas, agentes e instituições culturais a propor e organizar atividades que se relacionem com o projeto, promovendo o diálogo entre o patrimônio histórico paulistano e as mais diversas linguagens artísticas, bem como a identificação de bens e práticas culturais que tratam da memória e identidade dos diferentes grupos sociais presentes em todos os territórios da capital paulista.
Com o tema “Nossa cidade, nossas memórias”, a Jornada do Patrimônio 2020 se debruça na perspectiva do indivíduo que vive, trabalha, constrói e se desenvolve na cidade de São Paulo, trazendo à tona as diversas camadas que compõem as transformações sociais, culturais e urbanas da cidade. 

Recebemos o convite de um dos primeiros colaboradores de nosso blog o Everton Calício para o Passeio a Pé pelo Pari no próximo domingo dia 6. Grande amigo , com raízes parienses e torcedor da nossa Lusa, teve essa feliz ideia que deverá ter apoio de vários blogs de nosso bairro.

ONZE ANOS CONTANDO HISTORIAS DO PARI !!

Captura de tela 2020-11-29 às 01.41.21

Hoje , 29 de novembro, nosso blog comemora onze anos de atividade.  Nesta mais de uma década , procuramos homenagear , amar e conservar viva a memória de um dos menores bairros de São Paulo, porém gigante nas tradições e no amor que por ele devotam seus filhos.

Graças à colaboração de suas  filhas e filhos podemos homenagear o nosso pequeno bairro doce de Piratininga, alguns  se foram ,mas aqui estão presentes através do amor que sempre devotaram ao Pari.

Este bairro pujante , guerreiro , como aqueles que o formaram , que aqui regaram o solo com muito suor , lágrimas , mas sempre com muita fé , muita fibra.

Sempre manteremos acesa a chama da memória em honra de nosso bairro querido.

Obrigado Pari ! Saudações parienses !

 

NR foto do Google maps

PARI E SEUS FILHOS FAMOSOS (PARTE I )

Pari, chamado por muitos como o bairro doce de São Paulo, outros como o vaticano paulistano( 4 igrejas católicas numa pequena área), outros como o pequeno notável, mais recentemente como nova 25 de março, outros a meca paulistana( duas mesquitas,uma xiita ,outra sunita)na mesma pequena área do bairro. Mas , como dizia o poeta, pode de mim quem quiser falar,o Pari continua firme, pois nós deste blog,não estamos deixando a peteca cair. Muitos políticos e políticas tentaram aniquilar o nosso bairro, num certo ponto até conseguem. Mas a dificuldade que eles encontram somos nós, como encontraram no passado com aqueles que nos deixaram.

Gente de fibra, a maioria descendentes de imigrantes pobres, que escolheram o Brasil por destino e o Pari para construir.
Encontraram um bairro com poucas pessoas habitando ,na maioria paupérrimos pescadores e biscateiros no centro da cidade. Aqui esses imigrantes construiram casas , lojas ,indústrias ,oficinas e lutaram para propiciar a seus descendentes uma vida cada vez melhor. Esse é o motivo pelo qual o Pari tem apesar de seu tamanho minúsculo tantos filhos famosos.

Citamos aqui graças à colaboração de vários amigos pessoas que se destacaram acima de tudo no esporte. É bem verdade que citamos tambem em outras áreas culturais e pedimos perdão por não lembrar de outros tantos , é muita gente boa. Não poderíamos esquecer do grande repórter Calos Spera, um repórter da antiga, esperto, que a tudo enfrentava na ânsia de bem informar ao público do rádio e da tv dos anos 50.Um primo do Spera , foi comandante da PM, com a glória de depois de 40 anos com comandos de oficiais do Exército , a nossa antiga Força Pública teve um Coronel egresso dos bancos do Barro Branco , como mais alto mandatário, o grande Coronel Theodoro Cabette, pariense nascido e criado na avenida do Estado entre João Teodoro e São Caetano. A irmã do Cel . Cabette, sra.Judith Cabette, foi durante muitos anos ,pianista e diretora musical do Theatro Mvnicipal de São Paulo. No Coral principal do citado teatro, cantou até poucos anos o Nelsinho, ou Nené, ou Nenê, grande tenor ,uma voz que emociona ao se ouvir.

Voltando à PM, não poderíamos esquecer do Cel. Deputado Sidney Gimenez Palacios, uma das linhas de frente da PM paulista.Como tambem do querido Capitão Thorus, nosso amigo de infância e do tambem Capitão prematuramente falecido Alex Rondon, pessoa que conhecemos desdes a mais tenra infância.

Agora nesta nossa viagem ao passado e retornando à Praça Ramos de Azevedo, não poderíamos esquecer de maneira alguma da grande , da grande música, soprano, destaque do Coral ,como tambem com sua carreira solo, da querida Profa. Norma Cresto, nossa vizinha por muitos e muitos anos. A Norma se foi é bem verdade, que teve sua vida levada à cabo num crime misterioso, mas esse crime como alguns outros em nosso bairro são um capítulo à parte , mas a Norma apesar de não ter tido filhos , entre seus muitos alunos ,deixou um orfão. O nome desse autêntico filho é o Dudu, que foi a pessoa que mais pranteou com a perda da dona Norma, hoje é um execelente músico, uma pessoa de grande futuro na nossa MPB.Egresso da banda do Movimento de Jovens da nossa querida Igreja Santo Antonio,Dudu dá verdadeiros shows aos amantes da boa música,seja popular ou erudita. É mais uma prova que o Pari continua firme e caminhando para um lindo futuro ,diferente , mas vibrante e muito legal temos a certeza.
Um Pari ao qual homenageamos os seus filhos famosos é verdade, mas homenageamos e muito aos seus filhos que não tiveram tanta fama, mas que enchem de orgulho ao Pequeno notável.

Empresários, médicos, advogados, padres, arquitetos, contabilistas, designers,jornalistas, professores, profissionais da moda, operários ,balconistas , bancários, enfim das mais diversas atividades, bem sucedidos graças a um esforço sobreumano de ancestrais muitas vezes com parcos recursos, mas que deram um exemplo de abnegação, de luta , de esforço ,muita garra para legarem a seus filhos um lugar ao sol.
Não são filhos famosos fora de suas atividades, mas que enchem de orgulho ao Pari e aos parienses.

Ao Pari e aos meus conterrâneos parienses o meu abraço,

Jayme Ramos

LUSA É A MELHOR DA PRIMEIRA FASE !

A Portuguesa estava tranquila na tarde desta quarta-feira (24), no Canindé. Com a liderança do Grupo 5 garantida, um triunfo apenas podia colocá-la com a melhor campanha da primeira fase da Copa Paulista. E, a vitória por 2 a 0, com gols de Adilson Bahia e Vinícius Silva, sobre o Guarani realmente garantiu a Lusa chegando à fase mata-mata no topo.

Com 16 pontos em seis jogos, a Rubro-Verde irá enfrentar o time que avançou com a 16ª melhor campanha nas oitavas fase, no caso, o Nacional. A FPF deve definir nesta quinta (25) a data e o horário do confronto. O NETLUSA transmite a partida com narração de Gomão Ribeiro.

“SEU” ÂNGELO BARBEIRO

Sr  .    Ângelo barbeiro, um dos ícones parienses

Todos os bairros possuem seus ícones. São pessoas lendárias, que por vários motivos despertam nos seus conterrâneos,  um carinho todo especial.

Já vi várias referências no site,  tanto em fotos , como em comentários a uma pessoa que sempre despertou em todos os que com ele conviveram muita estima no Pari. Trata-se do sr. Ângelo Francelino Tessari,  uma pessoa que incorporava o antigo barbeiro. Pessoa digna, um líder nato,  inclusive dos seus muitos funcionários,  uns ficaram muitos anos ao seu lado, outras dezenas que ali no seu salão da Rio Bonito aprenderam o ofício e que se espalharam por este São Paulo. Os funcionários o chamavam de Chefe,  termo que todos os que o estimavam passaram a adotar.

Na sua cadeira passaram importantes personalidades ,  principalmente do bairro como padres,  médicos,  advogados, empresários, artistas, etc. A todos o sr. Ângelo atendia com o mesmo zelo,  com o mesmo cuidado,  tanto fosse uma pessoa importante como não. A cadeira tinha uma mística toda especial,  era o momento de pausa,  de reflexão e por que não? até mesmo de confissão,  o que transformava a cadeira do sr.Ângelo , num misto de confessionário com divã de clínica.

Todos que ali sentavam recebiam além de um corte de cabelo e ou de barba no capricho,  uma palavra amiga,  um bom conselho e às vezes um bom negócio. Sim,  porque ele também exercia a atividade de corretor de imóveis.

Após longos anos de atividade,  sr. Ângelo aposentou-se e passou a dedicar-se à profissão de corretor imobiliário, exercida até o final de sua vida com grande sucesso.

Nas reuniões e bate-papos,  sobre quais assuntos fossem,  a sua liderança se impunha. Às vezes as discussões tornavam-se acaloradas e ali estava a fleugmática figura do Chefe,  para impor equilíbrio à mesma. Sem intervir só observando e analisando os pontos de vista de seus interlocutores. Quando após uma longa discussão e para variar não se chegava a um consenso,  todos apelavam para a figura do Poder Moderador , O CHEFE!

Após alguns instantes de silêncio total, o Chefe pigarreava de leve,  pegava o rapé de sua bolsinha, dava uma cheiradinha,  assoava o nariz,  após um contido espirro e vinha com a infalível Sentença Final, que não merecia a menor contestação e é claro, com uma análise fria e comedida dos argumentos ,  ponto a ponto. A Sentença é claro, vinha acompanhada sempre e de forma sútil de um comentário irônico e jocoso. Ninguem mais discutia aquele assunto era o AMEM. Após a sua aposentadoria , o Chefe ainda continuou a exercitar a sua vocação,  para cumprir uma promessa que ninguem sabia qual era, o Chefe durante o ano ,  cortava em domicílio e de maneira gratuita o cabelo de 12 amigos uma vez por mes. Foi uma oferta insistente dele e não queria receber nada e de maneira nenhuma.É claro que os doze no final do ano, procuravam dar-lhe um regalo, uma lembrancinha,  que era recebida com muita relutância. Um dos 12 era o meu pai, outro era o pai do Nilton, os outros eu não lembro.

Uma característica sua era a unha comprida e bem cuidada do mindinho direito e quando alguem lhe comunicava a morte de alguma pessoa conhecida ele exclamava agitando aquele seu dedinho :” -pra lá, pra lá ,  hoje morre fulano , amanhã sicrano, depois beltrano” a que os seus fãs indagavam e o sr. Chefe? pra lá, pra lá e todos gargalhavam.

O Chefe faleceu a caminho do hospital, vítima de um infarto, ou seja uma morte rápida, sem sobressaltos, equilibrada como fora a sua vida. No carro do genro , Roberto e amparado por seu filho, Muricy a caminho do Na.Sra. do Pari, sentiu um aperto no peito exclamou : ” Ih, car…” e tombou nos braços de seu filho.

Foi uma crônica longa,  mas para falarmos dessa importante figura para a vida de muita gente no Pari, seriam necessárias, páginas e páginas. Ao Chefe, as minhas orações,  porque com certeza ele, acompanhado de sua esposa, a meiga dona Bê e de seu filho Dr. Muricy , estão ao lado do Pai eterno.                                    JAYME RAMOS

TERÇO DOS HOMENS

terço 24 nov 20

Aos poucos o pessoal do Terço dos Homens da Igreja Santo Antonio do Pari está voltando após muitos meses devido ao isolamento social provocado pelo COVID .                                             Seguidas à risca as recomendações das autoridades da Saúde , como observam na foto , ontem esses amigos oraram com devoção ao Senhor Deus com a intercessão de Nossa Senhora para dias melhores para todos , acima de tudo no que diz respeito a harmonia e vida plena para todos nós. Belo exemplo de religiosidade e amor .

LEIS DE 1865

Mais uma edição do Correio Paulistano , esta de 2 de junho de 1865, do site da Biblioteca Nacional .

Algumas curiosidades sobre esta publicação , que fala de determinações provinciais

abrangentes, minuciosas como as leis brasileiras até hoje.

Algumas dúvidas tirei , usando o Dicionário Aurélio , como por exemplo ,num

dos artigos tornam proibidas as roqueiras, como ? perguntei eu a mim mesmo.

Premonição da autoridade provincial ?  predecessor da Operação Psiu , já imaginando o som provocado por alguma banda de Rock  num futuro ainda

longínquo ?  nada disso, o bom e velho Aurélio me tirou as dúvidas  do alto das suas interes-

santes e instrutivas 1499 páginas. Resumindo, roqueira também não é nenhuma mocinha que requebra , pula e chacoalha os cabelos ao som da pedra que rola.

Roqueira é um canhão extremamente barulhento que lança pedras, muito usado ao lado de fogos  de artifício em algumas festividades da época.

Estas festividades no meu modo de ver deveriam ser , os bisavós dos raves de hoje, porque vejam , buscapés ( foguete rasteiro e que disparado vai a bons metros de distância e só aí dispara), roqueiras , fogos de artifício sem nenhum ítem de segurança, o que deveriam explodir antes de subir , no mínimo eram emocionantes .

Outro ítem importante se refere à origem do nome de nosso bairro.

Parys eram armadilhas inventados pelos índios e que continuaram a ser usadas pelos antigos habitantes de nossa região ,à época seus descendentes , fruto de miscigenação com o europeu, armadilhas essas que eram para se pescar.

Usadas para pescar porém atrapalhavam a navegação de pequenas embarcações, constante, pois os caminhos terrestres eram poucos e dificultosos

Mas vamos à notícia e se tiverem alguma dúvida , Aurélio ou ao Google

Jayme Antonio Ramos

GATO POR LEBRE

falso conejo

Numa de minhas caminhadas pelo bairro me deparei ante um cartaz defronte de um dos vários restaurantes latino-americanos existentes.

Levei um susto quando vi entre vários pratos , um de nome falso conejo, desculpem a minha ignorância, mas nos meus parcos conhecimentos da língua espanhola, conejo é coelho, portanto no nosso idioma o nome é falso coelho.

Preocupado ante tantas notícias pelas redes sociais de maus – tratos a animais , automaticamente lembrei-me do dito “levou gato por lebre “,logo fui verificar e só aí respirei aliviado , trata-se de um prato da cozinha boliviana ao que parece muito saboroso, vejam o modo de preparo.

Falso Conejo

Ingredientes

  • 600 g de filet mignon
  • 200 g de ervilha fresca
  • 200 g de batata inglesa cozida
  • 100 g de farinha de rosca ou panko
  • 2 pitadas de Ají amarillo  ( pimenta )
  • 5 g de cominho
  • 5 g de orégano
  • 1 g de pimenta do reino
  • 100g de Cebola
  • 2 dentes de alho picados
  • 600 ml de Caldo de frango
  • Azeite de oliva a gosto
  • 1 Ovo

Modo de fazer

Em uma frigideira doure o alho, a cebola, o cominho, o orégano  e o ají sem sementes. Acrescente a batata pré-cozida em cubos deixe pegar o fundo. Acrescente o caldo de frango aos poucos e deixe cozinhando por alguns minutos ate engrossar o molho. Junte a ervilha e verifique o ponto de sal. Com o filet mignon faça paillards passe no ovo depois na farinha de pão e frite em azeite abundante ate que fiquem bem dourados, junte todo o refogado na mesma frigideira. Para servir faça uma base com os legumes e distribua o filet por cima, ainda por cima a salsa de tomate.

Bom apetite !